segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Um ano difícil de ser esquecido

Foi nele em que perdi um grande amor..
Ganhei outros.. não tão grandes, mas marcantes mesmo assim.
E vi que seus substitutos não preencheram o vazio.
Aprendi que não importa o quanto você foi magoada, sempre pode ser mais.
Grandes amigos foram descobertos. Outros perdidos.
Descobri que sou mais forte que pensava. E mais frágil do que gostaria.
Tive certeza de algo que antes só era uma desconfiança: eu não sou normal!
Mas qual a graça de ser normal nesse mundo?
Perdi parte da minha inocência. E com ela a esperança de que algo bom vai acontecer.
Tive crises existências e porres homéricos. (Ok, talvez nem tanto, mas eu gosto dessa palavra: homéricos. ^^)
Mas nem tudo são dores. Sorri. Brinquei. Gritei. Escrevi. Li. Dancei. Beijei. Descobri. Me descobri. Capaz de coisas que não achava possível, boas e ruins. Me perdi? Alguns diriam que sim. Talvez tenha me achado. Ou achado uma parte de mim que antes tava adormecida, esquecida por me preocupar demais com outra pessoa.
Também me cansei, de tantas descobertas, de tanto aprendizado. Às vezes tudo que eu queria era voltar a ser como eu era. Mas é impossível. E agora só falta aprender a ser feliz..

Não te odeio 2007, mas não posso descrever o alívio em saber que você finalmente está terminando. Bye bye, beibe. ;)

(promessa para 2008: menos drama e mais sorrisos por aqui!)

Nenhum comentário: