terça-feira, 15 de janeiro de 2008

inevitável

Ah não.
Posso senti-la chegando. Ainda não é hora.
Vejo se aproximando e me procurando.
Me escondo. Finjo que não a vejo.
Não pode esperar mais um pouco antes de se instalar?
Porque essa pressa toda? Não é como se fosse pouco tempo ficar.
Quando olho para ela mais que dois segundos posso sentir seus braços em volta de mim.
E mais que ligeira me sacudo. Não. Não antes da hora.
Hora que não demora. Hora que já está bem aí.
Calma, dona Saudade.. logo terás lugar cativo no meu coração.

Nenhum comentário: