terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Eu quero ficar só. Mas comigo só eu não consigo.

Carência é uma coisa complicada. Você pode nem saber de quem precisa, só sabe que precisa de alguém. Alguém pra te abraçar e garantir que tudo vai ficar bem. Alguém pra te ligar no fim da noite e perguntar como foi seu dia. Alguém pra te apoiar nas merdas e pra comemorar as vitórias. Pra ser a primeira coisa em que você pensa quando acorda e a última quando vai dormir..
Quando você não tem ninguém que seja esse alguém, aí o bicho pega. Se existe um candidato você se antecipa e imagina todas as situações possíveis e imaginaveis. E isso, de certa forma, te conforta. E quando não tem ninguém?
Eu sou carente. Extremamente. Preciso de alguém do meu lado. Só que atualmente ter alguém do meu lado nem é uma opção. Nem sei se quero procurar alguém. Não consigo me imaginar mais com alguém. Faz sentido?
Só queria mesmo que passasse a sensação de vazio. Que meu pequeno músculo involuntário não se enchesse de invenjinha branca quando vê um casal apaixonado e feliz. Estar satisfeita em estar sozinha.. é pedir demais?

2 comentários:

Anônimo disse...

"já que vc não me quer mais, vou espalhar meu amor por aí"

acho que o coração é do tamanho do punho por mera ironia divina. esse pedacinho da gente teima em dar nocaute em nêgo.

mas na outra mão,não na contra mão, a solitude é até uma boa. dividimos tanto nosso tempo em pequenas frações que tempo pra nós mesmos vira artigo de luxo. estar acompanhado, estar apaixonado, dá trabalho. e demanda tempo.

não que eu seja racionalista extremista. nem desalmado. também tenho coração pugilista, mas aprendi a dar tempo ao tempo e aproveitar quando ele me reserva algum.

gostei do texto.
bjo.

Jéssinha disse...

Poxa, fico me coçando de curiosidade quando o comentário é anônimo.. =P