quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Nos braços de Morfeu

Meu santuário, meu refúgio. Minha cama.
Meu lugar preferido, onde sempre quero estar.
Onde posso esquecer. Onde posso não ser. Onde posso sonhar.
Onde tudo é permitido e a ilusão chega a doer de tão real.
Onde posso viver o impossível. Criar situações. Conhecer pessoas.
Ir aonde não vou. Ver o que não há.
Uma pausa de ser quem sou. Um tempo pra descansar.

Um comentário:

Diego Pintro disse...

"Ir aonde não vou. Ver o que não há.
Uma pausa de ser quem sou. Um tempo pra descansar." - PERFEITO!