sábado, 29 de março de 2008

quinta-feira, 27 de março de 2008

primeiro encontro

Eu quase tinha me esquecido da sensação de primeiro encontro. É algo bem emocionante pra falar a verdade.
Sair com alguém pela primeira vez sem ter idéia do que vai acontecer ao longo da noite. Ter aquela sensação de agonia no estomâgo por não saber o que falar, se vai agradar, se ele não vai te achar uma total idiota.
"Será que é agora que ele vai me beijar? Será que ele quer me beijar? Meu Deus, será que tem alguma no meu dente pra ele não querer me beijar? Mas será que EU quero beijar ele?"
Questionamentos que passam voando pela mente mas que servem pra te aterrorizar durante frações de segundos. Mas sabe o mais legal? É ver que depois que passa o nervoso o negócio tá até engrenando. Você parece ter falado uma ou duas coisas interessantes e, por mais incrível que pareça, ele pode estar gostando da tua companhia.
Tem coisa mais gratificante que essa???

Ah, e deitar pensando na noite que passou é simplesmente inevitável.

quinta-feira, 20 de março de 2008

quem sou eu

Um sopro. Suave e incerto.

Esperando aquilo que me transformará numa tempestade. Forte e bela.

A espera, às vezes, parece eterna.

Mesmo sem motivo ou esperança ainda admiro as estrelas na calada da noite. Elas me lembram de um passado feliz.

domingo, 16 de março de 2008

"A senhora é louca?"

Não sei bem como começar o causo.
Diana. Uma acreana, em São Paulo de férias. Muitas compras, passeios, museus, parques.
Estava ela em um de seus passeios nas ruas da big city, no celular, provavelmente conversando com alguém daqui.
Um rapaz se aproxima, e calmamente chama sua atenção. Ela pede pra ele esperar, pois estava na sua ligação. Quando ela finalmente se vira e vai falar com o rapaz a primeira coisa que escuta: - Passa o celular.
- O que?
- Olha, passa o celular, bem calminho, não precisa de pânico, só me passar o celular que ninguém vai se machucar. Olha minha arma aqui na cintura, se a senhora fizer o que eu tô mandando não vai ter problema nenhum.
Surpresa. Choque. Pânico. Medo.
Depois de um segundo de hesitação ela responde:
- Olha moço, foi Deus que te colocou na minha vida. Eu sempre quis me matar. Mas nunca tive coragem.. atira em mim???
- O QUÊÊÊ?????
- É, eu quero me matar mas não tenho coragem de me jogar debaixo de um carro, ou fazer qualquer coisa.. atira em mim, por favor..
- Minha senhora, a senhora é louca? Me dê seu celular que eu vou embora..
- Nãããoo.. não vai embora não, por favor, me mata! Atira em mim.. mas atira na testa, pra não doer, por favor?
- A senhora é louca?? Só pode ser.. (recuando como se a mulher tivesse alguma doença contagiosa). A senhora É LOUCA!
Resultado: o rapaz assustado, fugiu sem o celular. E ela não teve prejuízo. Ganhou uma tremedeira, mas nada além disso.

Moral da história: Quando for assaltar alguém na rua, escolha com cuidado, a pessoa pode ser mais louca que você..

História real. Acreditem ou não, a personagem é a mãe desta blogueira. oO

quinta-feira, 13 de março de 2008

Cliping

Sempre comento com as pessoas que sou estagiária da Agência de Notícias do Acre, e como os jornais da cidade de vez em SEMPRE pegam nossas matérias e publicam, uma vez ou outra meu nome sai, ou melhor, saía. Dai sempre falam: Ahhhhh aposto que você recortou a primeira matéria sua que saiu assinada (sempre com aquela cara de espertalhão)..

E eu sempre tenho que responder.. "não, pior que não, acredita?" (com aquela de mané, pensando "putz, mas porque foi mesmo que eu não fiz isso??? sua babaca!")

Por isso resolvi fazer um cliping aqui mesmo com as minhas matérias que saírem na Agência. A partir de agora elas não serão assinadas por motivos turvos de legislação do estágio em jornalismo, mas enfim, vocês, meus fiéis leitores, saberão que são minhas e se rejubilarão com a leitura de tais preciosidades!! :D

Essas aí estão em ordem da mais atual pras mais antigas. Tentarei atualizar frequentemente a lista. Enjoy..

Encontro reune secretários de Segurança em Rio Branco

Segundo dia da Semana do Consumidor discute impactos no meio ambiente

Prorrogado prazo para a troca de carteiras no Sindcol

Em pouco mais de um ano, Sine preenche 4,6 mil vagas de empregos no Acre

“Apitaço” pelos direitos da mulher

CD “Inundação” de Kelen Mendes é lançado na Maloca da Nega

Rio Branco e Botafogo se enfrentam nesta quarta-feira

Copa Mulher Futebol de Areia

Provinha Brasil avalia alunos que iniciam o ensino fundamental

Abertas as inscrições para fiscais do concurso da Ufac

Redução de casos de malária no Acre é destaque em imprensa nacional

Bancos mudam o horário de expediente nesta segunda-feira

Celulares podem ser proibidos em escolas públicas

Geração de renda na Folia da Arena

Vista a Fantasia da Solidariedade

Casamento Civil no Brasil comemora 118 anos nesta quinta-feira

Serviço de vacinação no Aeroporto de Rio Branco volta a funcionar

Abastecimento de água na cidade deve normalizar até terça-feira

Restrições para propagandas em TV e rádio aprovadas na Câmara

I Prêmio Garibaldi Brasil de Literatura Acreana

E se você quer saber o que se passa no nosso estado, o que tá esperando pra acessar a Agência de Notícias do Acre???

(Jabá puro e na cara de pau) \o/

quarta-feira, 12 de março de 2008

Flowers

Nunca fui uma menina que sonhasse em ganhar flores. A única época em que lembrava disso era no dia dos namorados, no ensino médio. Colegas suspirando pelas cantos do Colégio Meta com seus buquês enormes. Mas mesmo assim nunca as invejei. Achava bonito e me perguntava como devia ser. Só.
Particularmente eu não tenho nada contra flores. Sua beleza é inegável. Seu perfume irresistível. Fora todo o marketing que é feito pra nos convencer que um buquê equivale a uma verdadeira declaração de amor.
Mas sejamos racionais.
São flores. Não servem pra nada. Só enfeitam. E morrem em poucos dias.
Não possuem nenhuma utilidade prática. E ainda são caras pra porra! Fala sério.
Se homem eu fosse, teria uma conversa bem séria com minha amada, "Querida, movo mundos e fundos por você, mas não me peça flores. Que tal um livro? Uma roupa? Um vale-CD??"




Ah sim, quase esqueço-me. Hoje ganhei flores. De quem? Mistéééério.





sábado, 8 de março de 2008

Paulete

És tão bela que me encanta. Branca, pura, doce e singela.
Me lembra de uma época em que eu era tão pura ou mais.
Quando meu coração ainda não conhecia a palavra 'decepção'.
Determinada, e acima de tudo inteligente.
Futura doutora. Lhe cai muito bem a habilidade de curar alguém.
Forte, apesar da frágil aparência.
Amiga das que enxugam suas lágrimas e te fazem sentir compreendida.
Mesmo sem dizer uma palavra.
Compreensiva. E paciente. Menos no trânsito.
Uma das pessoas mais românticas que conheço.
Talvez por isso viva apaixonada. Mesmo quando não correspondida.
Sortudo daquele que reconhecer em seus olhos castanhos cor-de-mel o mundo de possibilidades que ela pode oferecer.
És minha amiga.. és Paula.