segunda-feira, 26 de maio de 2008

Dualidade

Duas vivem em mim. Eu não acho, eu sei.
Duas pessoas convivem dentro dessa cabeça e mais dia, menos dia, elas vão me enlouquecer. Ou nos enlouquecer, quem sabe?
Elas possuem nomes, mas esqueçam, não vou revelá-los.
Cometi a besteira de contar a um amigo e ele riu. (Nota mental: nunca mais compartilhar pensamentos obscuros e bizarros com os outros)
Uma é meiga e temerosa. A outra é ousada e chega a pender até um pouco para o lado do mau.
E quando as duas insistem em repartir meu coração.. ô confusão.
Uma insiste em se prender a um passado que não existe mais. E sofre por ele.
A outra já vive um presente muito mais feliz e promissor. Elas precisam entrar num acordo.
E logo.
Pois o coitado não pode viver duas situações ao mesmo tempo.
Eu consigo mudar de humor e de espírito em dois segundos, e logo perguntar: como eu posso estar me sentindo assim se não faz nem 5 minutos que me sentia totalmente assado! oO
Quando digo que preciso de ajuda profissional meus amigos riem, e eu rio junto com eles.
Rir pra não chorar, é o que diz o ditado, não?

É insano..
Não, não.. na verdade, eu que sou.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Mais sabedoria

"Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas, e é dever da mulher pisoteá-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia pro jantar"

Será que a informação procede? ;)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Tirinha


Infelizmente a situação realmente acontece comigo: falta de memória, tanto no pc como na caixola! Nadaver

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Pérola

Sabedoria popular que você escuta em certos sarais universitários:

Pecado não é dar..
Pecado é distribuir por aí!

Menina sábia, essa.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Emprestado

Não fui eu que escrevi, mas quando li me identifiquei imediatamente.


"Boa noite. Chegue perto. Demorou hoje! Cheguei a pensar que não viesse. Mas já que está aqui, vamos conversar. Fiquei quase feliz por algum momento. Porque hoje o dia foi bom. Saí por aí, encontrei amigos, me diverti com eles. Não é sempre que isso acontece, você sabe. Ouvi palavras gentis, pratiquei a gentileza. Dei risadas. Confesso que dei risadas até quando só queria ser gentil. Não é falsidade, é cortesia.

Conheci pessoas novas, gente que imagino que possa estar comigo em bons momentos daqui pra frente. Ou que talvez eu cumprimente por educação quando ver por aí. Pessoas que talvez eu nunca mais verei na vida, mas que me lembrarei, pelo menos por um tempo, graças ao dia de hoje. Pessoas novas. Que fascínio nos causa o desconhecido! Às vezes parece que ele guarda tudo o que sempre procuramos. Amedronta-me o medo da decepção, mais ainda o receio de decepcionar.

Gosto de passar sempre uma boa impressão para as pessoas à minha volta. Às vezes me calo, mas o silêncio, se não ajuda, tampouco atrapalha. Gosto de transmitir paz. Até quando sinto o holocausto por dentro.

Fiz hoje o que não fazia há tempos, tive bons momentos de quase felicidade. Mas não esqueci de você. Talvez por alguns instantes. Mas você parecia estar sempre lá. Quem sabe um dia me abandone, não é? Ah, duvido muito. Sei que, de alguma forma, sempre estará do meu lado. Talvez mais distante, mas nunca fora do meu alcance. Já ouviu aquela piada do chinês? Aquela.. Nossa, sou péssimo contando piadas. Mas você precisava ver meu amigo contando. Quase abro um sorriso, quase liberto meu riso. Quase. Porque tentei, mas não consegui te esquecer.

Ei, espere! Não terminei! Sei que é tarde, mas ainda nem coloquei os fones no ouvido. Veja só o que eu tenho aqui. Los Hermanos: "Bloco do Eu Sozinho". Vou já ouvir. Pelo visto você não vai embora agora, né?

Mas, sabe..Eu poderia estar dormindo ou assistindo TV. No entanto, faço algo que gosto, você me inspira. Escrevo um texto, e isso me acalma, não me faz sentir inútil. E é graças a você. Tenho que lhe agradecer.

Estive pensando, e acho que talvez você seja responsável pelos melhores momentos de reflexão. E, sem estes momentos, nem sempre conseguimos enxergar as coisas da maneira como elas verdadeiramente são. Quando esta felicidade, que sinto às vezes, não for mais ilusão, aí lhe pedirei que me deixe de lado, ao menos por algum tempo. Mas, agora, só tenho a agradecer sua companhia.

Obrigado, tristeza.

Baseado na música "Bom dia, Tristeza", de Adoniran Barbosa e Vinicius de Moraes."

Thiago Fialho

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Desaparecida

Sumi. Escafedi-me.
Não tenho tempo pra escrever.
Na verdade tenho que usar o único tempo que tenho pra escrever.. a monografia.
Desafio quase impossível de ser realizado. Menos de 3 meses entre a escolha do tema e a data de entrega. Será que eu consigo?
Não quero ser pessimista, mas acho difícil. Porém, isso não quer dizer que não vou tentar.
Por isso, então, só esperem minha volta assim, em agosto.. beeeeeem lá longe.
E junto comigo, trago o resultado da odisséia.
Claro, que se der, eu volto e escrevo uma besteirinha ou outra por aqui.
Até porque ninguém é de ferro. Nem só de conhecimento acadêmico vive o homem. E a mulher.
Ah, e se não for pedir muito, incluam meu nome nas suas conversas noturnas com papai do céu. Só por via das dúvidas, pra garantir.
Toda ajuda é bem-vinda!

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Preciso.

Uma borracha.

Para apagar aquilo que insiste em continuar em mim.

Uma mordaça.

Para calar as vozes que insistem em me enlouquecer.