terça-feira, 26 de maio de 2009

O primeiro pneu a gente nunca esquece.

Hey hey hey, o dia começou normal, uma segunda, enfim... como todas as segundas começam: cheias de preguiças, um céu nublado e uma vontade louca de já ser sexta-feira.
Quando mais que de repente me ligam da coordenação me avisando que finalmente, FINALMENTE minha colação especial tinha sido aprovada. Pequeno detalhe: a menina me liga na segunda de manhã pra avisar que o negócio ia ser 18 horas. Hellooooooo, alguém já ouviu falar em aviso com antecedência???
Manhã continua correndo, fico sabendo de coisas que me abalam o emocional (homem sempre abala o cacete do nosso emocional!), desnecessário dizer que teve choro envolvido, mas resolvi abstrair e me concentrar na única notícia boa do dia: colarei grau e finalmente, de verdade, verdadeiramente viraria bacharéu! Uhhulll...

E fui, linda, leve e loura pra Ufac, às 18 horas. Cerimônia bem simples, poucas pessoas, 4 para ser mais exata, colaram grau. Tirei uma foto com a ata só pra não passar em branco. E fui comemorar com minhas amigas a ocasião. Pizza, conversa, conta, canal. E terminamos nossa noite sentadas na Namoradeira falando de tudo que três mulheres desocupadas falam: Homem! kkkkkkkkkkkk
Bem, tecnicamente esse seria o fim da noite... hora de partir e vimos que o pneu do carro tinha furado. O pesadelo de três mocinhas indefesas. O que fazer?? Paramos, descemos, fingimos que estávamos analisando a situação e esperamos ansiosamente que algum de todos aqueles rapazes que estavam zanzando pelo canal se oferecesse pra nos ajudar.

Agora me conta, veio um??????? Veio porraaaaaaaaa. A indefesa aqui não esperou nem 2 minutos, começou a tirar o step, macaco e chave de roda do bagageiro enquanto minhas ajudantes lançavam mão da nossa agenda em busca de algum AMIGO, homem, do sexo masculino que nos salvasse. Até tentamos, o primeiro tava numa região bem longe, seria judiação apelar pra ele, tentamos o macho nº 2, bom, ou não era amigo suficiente ou não era macho suficiente, pediu que ligássemos pra um terceiro. Quando me perguntaram se a gente ligava pro tal terceiro, respondi: pra quê? se eu já to quase terminando..

Sinceramente, só sei de duas coisas: 1.glória a Deus pelas borracharias 24 horas e 2.essas coisas só acontecem com a gente.

O dia que era pra ficar marcado como 'o dia da colação de grau' ficou mais pra 'a aventura em que troquei o pneu do carro sozinha sem ajuda de ninguém'. Pense numa menina prendada!!!

sábado, 16 de maio de 2009

Evite ser traído - Arnaldo Jabor

Aviso logo que isso não é nenhuma indireta, até porque considero traição um ato abominável. É apenas um recado para os homens: cuidem bem de suas mulheres!

Evite ser traído

Para as mulheres, uma verdade! Para os homens, a realidade.Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos.
Mas o que seria uma 'mulher moderna'? A principio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde e nem tem tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é corajosa, companheira, confidente, amante... É aquela que às vezes tem uma crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está errada e de correr pros seus braços...É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e delicada, desarrumada e linda, brava e amorosa... Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer... Assim, após um processo 'investigatório' junto a essas 'mulheres modernas' pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É???) 'corno', ao menos que:
- Nunca deixe uma 'mulher moderna' insegura. Antigamente elas choravam. Hoje elas simplesmente traem, sem dó nem piedade. - Não ache que ela tem poderes 'adivinhatórios'. Ela tem de saber da sua boca o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol) mais do que duas vezes por semana, três vezes então, é asssinar atestado de 'chifrudo'. As 'mulheres modernas' dificilmente andam implicando com isso, e se implicar uma vez e depois não se importar mais.... atenção!! Aí tem!!! Entretanto, elas são categoricamente 'cheias de amor pra dar' e precisam da 'presença masculina'. Se não for a sua meu amigo... Bem... com certeza será de outro. Mulheres assim nunca ficam sozinhas! Pelo contrário tem sempre no mínimo 3 na fila. - Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.
- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As 'mulheres modernas' têm um pique absurdo em relação ao sexo e, principalmente dos 26 aos 42 anos, elas pensam, e querem fazer sexo TODOS OS DIAS (pasmem, mas a pura verdade)... Bom, nem precisa dizer que se não for com você... - Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é???? - Nem pense em provocar 'ciuminhos' vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar ou imaginar o fato de você estar olhando para outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo a um 'chifre' tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS 'comedor' do que você... só que o prato principal, bem... dessa vez é a SUA mulher.
- Sabe aquele bonitão que você sabe que sairia com a sua mulher a qualquer hora? Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece... Quando você reparar... já foi. - Tente estar menos 'cansado'. A 'mulher moderna' também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para muita coisa. - Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em 'baladas', 'se pegando' em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A 'mulher moderna' não pode sentir falta dessas coisas... senão... Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão 'quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência'. Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas 'mancadas'...
Proteja-a, ame-a, e principalmente, faça-a saber disso. Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele 'bonitão' (ou aqueles bonitões) que vive (vivem) enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!!
Quem não se dedica, se complica.

(Arnaldo Jabor)

quarta-feira, 13 de maio de 2009

should I stay or should I go?

Existem momentos que são decisivos, onde você precisa escolher se vai pra direita ou pra esquerda. Segue em frente ou continua estacionado. Se casa ou se compra uma bicicleta. Essa ansiedade diária e sensação de aperto no estômago me dizem que eu estou num momento assim.
Meu lado racional me diz uma coisa em letras garrafais: VÁ EMBORA, não vale mais a pena. O que um dia foi só carinho, declarações e sentimentos bons que faziam bem, muito bem aqui dentro, hoje se resume a brigas, decepções e uma sensação de estar sendo feita de boba, toda hora, todo dia.
Seria tão fácil se você me escutasse, mas escutasse mesmo as coisas que eu te digo. São como cartilhas: seguindo-se a risca, não tem como errar. Eu não me sentiria tão desvalorizada, tão frustada e principalmente tão ignorada. Eu te avisei que estava no limite, que o cansaço imperava quando o assunto era ter que explicar pela milésima vez o que estava acontecendo de errado. E o que você fez? As mesmas coisas de sempre.
Meu coração aperta quando eu considero a possibilidade de abrir mão de nós. De deixar a companhia de quem um dia me encantou com tanta irreverência, tanta inteligência, tanta coisa que não dá nem pra numerar. Você me deu tanto. Me fez tanto. E no entanto, agora age como se eu fosse 'coisa certa' que não precisa de cultivo ou atenção. Todo mundo precisa se sentir especial, importante, por que comigo não seria da mesma forma?
Precisava que você acordasse e visse que falta muito pouco para 'nós' virarmos 'eu e você'.