quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O reencontro

Confesso que temi, em certo grau, esse reecontro. Não mais do que ansiei, é verdade. Medo da mudança. Das coisas que poderiam ter deixado de existir. Medo da boca não ser mais tão macia, como na minha lembrança. Do encaixe não ser realmente tão perfeito. Da fantasia ter superado a realidade e criado algo que nunca existiu.
Pois bem, medo infundado. Tudo continua como antes. As mãos, com aquela textura que nunca vi igual em outra mão. A boca, que me leva à loucura onde quer que toque. Que beije. E o cheiro.. o cheiro, mais do que tudo, tem me embriagado desde que voltou. Ele sobe pelo meu nariz e envolve, me chamando, me prendendo. Me dizendo: vem ser minha. Quando tudo que eu consigo pensar é, "eu já sou". O que com qualquer outro se torna banal, contigo é quase sagrado. Minutos preciosos, insubstituíveis. Até o gozo se torna secundário, se é pra você que eu posso sorrir quando tudo acaba.
Tudo continua o mesmo. O sorriso maroto. A risada engraçada. O abraço apertado. E principalmente, a inatingibilidade do teu 'eu'. Tudo lá, exatamente como eu deixei um ano e meio atrás. Nada mudou, até mesmo o fato de você me querer apenas por algumas horas e nada mais.

4 comentários:

André disse...

Até eu estava ansioso pra ter notícias desse reencontro!!
rsrs
to sempre na sua torcida guria.
bjus e até mais!

Samuel Bryan disse...

Esteticamente falando: o texto está fantástico, principalmente pelo desfecho, muito bom mesmo.
Sentimentalmente falando: mudanças, amedontradoras e necessárias
beijos gata!

Anônimo disse...

Owwwww......q bom q vc esta feliz....mesmo por algumas horas.....rsrsrs.........bjsssssssssss, glau

LysMendes disse...

CARALIIIOOOO...fiquei até sem ar...perfeito como tudo que tuh faz My wife beautiful!