domingo, 9 de maio de 2010

Abstinência

E quem disse que o amor não é uma droga? É sim. Daquelas que não precisam de mais de duas ou três doses pra viciar. Que causam uma dependência digna de fazer a cocaína se morder inteira de inveja. Você acorda pensando nele. Imaginando quando vai ser a próxima dose. Dizendo que vai hoje vai ser a última vez. Amanhã você se liberta.
Agora, imaginem: 20 dias seguidos da minha droga preferida, sem intervalos, intensidade máxima de uso. Como proceder a interrupção abrupta? Sem meios paliativos? Sem os beijos? Os afagos? Os amassos? Sem os sorrisos de bom dia? As conversas pouco antes de dormir? Como faz pra não dormir toda noite pensando na necessidade de estar perto?
Pois é, eu to em crise de abstinência aguda.

Nenhum comentário: