sábado, 15 de maio de 2010

Damaged

Não é sempre que somos agraciados com epifanias pessoais. Dei-me conta de algo essa noite. Observando uma ação simples: meu namorado se vestindo para uma festa em que iria sem mim. O que haveria nessa cena que poderia suscitar um temor tão inexplicável?
Ele ia se divertir com seus amigos, comemorar o feito de duas, em particular. Não existia nenhum motivo pra desconfiar ou mesmo acreditar que ele fosse fazer algo errado. Mas mesmo assim, insistentemente lágrimas inesperadas surgiram.
E foi num momento de clareza absoluta que eu entendi. Eu não estava necessariamente temendo que ELE fizesse alguma coisa. A questão é que, depois de ter sido decepcionada tantas vezes por pessoas em quem eu acreditava piamente, meu subconsciente de alguma forma assimilou que AS PESSOAS IRÃO TE DECEPCIONAR, independente de quem seja, não importa o quanto você se esforce e as ame.. "- é tudo uma questão de tempo, bobinha."
Então, o que realmente aquelas lágrimas queriam me perguntar era: será que hoje é o dia?

Você tem noção do quanto é errado se sentir assim? Como se você andasse com uma bomba-relógio, sem saber ao certo o dia da explosão. Inconscientemente pensando: meu deus, vou aproveitar tudo que posso hoje, porque não sei se amanhã vai ser o fim.
Quem disse que PRECISA ter fim? Onde tá escrito que o justo tem que pagar pelo pecador? E o mais importante, como faço pra consertar o que tá quebrado aqui dentro?



Nenhum comentário: