domingo, 8 de agosto de 2010

Desabafo

Verdade irrefutável ou simplesmente total ausência de fé na humanidade?

Pra quem não sabe meu namoro é à distância. Não é uma situação ideal, mas quem disse que só podemos viver situações ideias e confortáveis? Aliás, vivemos 80% da nossa vida contornando situações que não são exatamente da forma que desejaríamos.
Enfim, depois que entrei nessa prova de resistência confesso: a distância é cruel, a saudade é torturante e o sentimento de que minha vida tornou-se uma eterna contagem regressiva de meses e dias é quase insuportável. Mas o que mais me tira do sério é a forma com que passei a ser tratada por alguns amigos. Vejam bem, AMIGOS.

"E o namoro, tá bem?" (carinha de pena/expectativa/condescendência)

E quando o assunto é fidelidade? Quando não estão falando pelas minhas costas que eu sou muito ingênua por achar que ele não me trai, estão me dizendo na cara que mesmo que ele o faça, o importante é que no fim das contas eu sou a mulher que ele ama, e não uma das quaisquer com quem ele fica pra satisfazer suas necessidades de homem. Sim, porque de acordo com a sabedoria popular: "Pra homem é diferente.."

Pessoas que andam comigo em todas as baladas, que me acompanham durante os 11 meses do nosso namoro e em nenhum momento presenciaram qualquer tipo de crise de abstinência carnal em que tive que agarrar o primeiro que apareceu. E o que me pergunto incessantemente é: se EU posso ter caráter e manter o compromisso de me manter fiel por que diabos outro ser humano do sexo masculino não conseguiria?

Pra falar a verdade, não está sendo nenhum tipo de sacrifício. Beijo, abraço e sexo faz falta? FAZ. Mas deixa eu compartilhar um segredo: o beijo que faz falta é o dele. O abraço que me dói não ter é o dele. E nem por todo tesão acumulado do mundo eu transaria com outra pessoa que não fosse ele. Simplesmente porque é dele que meu corpo sente falta. É isso que chamo de amor. Você querer tanto uma pessoa que teu corpo simplesmente esquece que existem outros homens nesse mundo. Nenhum deles chega aos pés daquele que você escolheu pra ser seu.

As pessoas acreditam que os outros são incapazes de serem íntegros e corretos porque elas não conseguiriam ser? É muita inocência (leia-se burrice) da minha parte acreditar que assim como eu, existam pessoas verdadeiras e honestas nesse mundo? É por prazer que precisam manchar a reputação de quem nem conhecem, atribuindo ações e certezas? É legal ver a minha felicidade e tentar jogar um pouquinho de terra por cima?

Já confiei em pessoas erradas, admito. Estou categoricamente afirmando que meu namorado não me trai? De forma nenhuma. Só acho que não preciso carregar essa atitude cínica, que todos à minha volta parecem ter. Se até na lei o pressuposto é que todos são inocentes até que se prove o contrário, muito me admira esse consenso errôneo que fazem.

Por isso, peço um favor: antes de falar de mim e de como eu estou "me enganando" olha pra tua vida e percebe o teu universo. E por gentileza, enfiar a pena no CÚ. Grata.

Nenhum comentário: